Nosso perfil, nossa estrela

Nosso trabalho tem suas origens em 1993 no estabelecimento de um escritório informal para a elaboração de projetos de arquitetura. O interesse por Arquitetura Prisional já havia despontado, ainda na faculdade de Arquitetura e Urbanismo e foi crescendo com as pesquisas sobre o assunto. As questões da habitabilidade do espaço penitenciário foram discutidas em relação ao planejamento e às tecnologias das construções, em 2001, resultando em alguns projetos que enfatizavam os direitos humanos dos atores que conviviam dentro do espaço prisional (agentes, presos, familiares, corpo técnico).

Em virtude de algumas Avaliações Pós-Ocupação das unidades projetadas e de suas modificações de usabilidade, alguns conceitos foram questionados, chegando-se ao conceito da co-participação dos aspectos sociais, políticos, psicológicos no planejamento arquitetônico, e vice e versa, chegando-se ao conceito de espaço penitenciário como “Sócio-Arquitetônico”.

Referimo-nos à Arquitetura, não no sentido da imagem visível ou do espaço como construção física, mas como a construção do espaço no tempo, e, dessa forma, como uma criação inseparável da vida civil e da sociedade.

Através da compreensão do sujeito que habita o espaço, portanto, e de seu cotidiano poderemos, talvez, contribuir para o necessário entendimento dessa relação entre espaço e movimentos sociais, enxergando na arquitetura, como matéria, esse componente imprescindível do espaço geográfico, que é, ao mesmo tempo, uma condição para a ação, uma estrutura de controle, um limite a ação e um convite a ação. Nada fazemos hoje que não seja a partir dos objetos que nos cercam.

Acreditamos que o panorama traçado pelos vários anos de pesquisa e contribuições na área de Arquitetura Penitenciária e Sócio-educativa possa contribuir para a quebra de paradigmas no planejamento de políticas Públicas e, consequentemente, do espaço sócio-arquitetônico de mediação entre o Estado e a Sociedade.

Desenvolvendo e integrando competências na cadeia de valor de setores diversos da segurança pública, nossos serviços estão centrados nos aspectos humanos, psico-sociais e técnicos das instituições públicas responsáveis pelo custodiamento de pessoas presas, adultos ou adolescentes. Nosso padrão de atendimento ao cliente advém da formação e experiência interdisciplinar na elaboração de projetos arquitetônicos e assessoria/consultoria no planejamento sócio-espacial de políticas de segurança pública.